A DOR É SANTO REMÉDIO NO COMBATE AO EGOÍSMO

Os atos de abnegação, a caridade inteligentemente interpretada, que não malogra seus frutos, a cordialidade expressada na amizade leal e sincera, são outros tantos aspectos que ascendem ao divino, uma vez que ultrapassam o plano das manifestações habituais.

Aquele que suporta a dor e o sofrimento experimenta o doce benefício da resignação, ao mesmo tempo que engendra a paciência, neutralizando1022 os impulsos do desespero. Além disso, quem já não pensou, nos momentos de dor ou de sofrimento agudo, em ser mais bondoso, generoso e tolerante com os demais?

Não foi e continua sendo a dor o que modifica e modera os temperamentos mais irrefreáveis, os caracteres mais incorrigíveis? Não é o padecimento o que se encarrega de fazer compreender e até corrigir os desastres morais que seus excessos provocam?

Em tais circunstâncias, o homem experimenta sua pequenez e absoluta fragilidade, já que sente que foi tomado por uma força superior a ele, da qual não pode se livrar sem antes pagar o tributo que a lei lhe exige por infração. Ao reconhecer que é dominado por uma força que desconhece, mas que chega a apalpar ao cair em desgraça, coloca sua razão no terreno do transcendente, o que lhe permite admitir que existem influências que, embora não sejam controladas pelo juízo, aparecem exercendo suas funções reguladoras, precisamente ali onde a razão não foi capaz de regular a tempo os excessos do ente humano.

(Livro “O Mecanismo da Vida Consciente”, de Carlos Bernardo González Pecotche)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s