SÓ A HUMILDADE NOS TORNA APTOS A QUALQUER TRABALHO DIGNO

Alcione, jovem governanta na casa dos Davenport, era obrigada a tratar de todos os demais serviços leves da casa, inclusive a costura, porquanto Dona Susana não tolerava a sua postura de moça simples e amável, e procurava um pretexto para despedi-la. No entanto, Alcione estava sempre calma e disposta a ceder aos seus caprichos com suave humildade, humildade esta que causava irritação em Susana. Por mais que elevasse a voz, em ordens intempestivas, Alcione tratava-a respeitosamente, em atitude de nobre serenidade.

Acrescentando-lhe outras ocupações, além dos deveres de governanta e preceptora, certa vez, Susana lhe disse com tom impositivo:

— Alcione!
— Senhora!…
— Hoje é necessário que substitua a lavadeira, que se encontra doente.
— Sim, senhora, vou agora mesmo ao tanque lavar as roupas.

— Beatriz, a filhinha de Susana, que a tudo ouvira, não se conformara coma atitude da mãe, e procurou o pai (o Sr. Davenport), dizendo-lhe:

— Papai, a mamãe vive perseguindo Alcione. A pobre coitada tem que fazer serviços pesados, e isso não é tarefa para ela.

— Obrigado, filha, por me alertar. Vou já advertir tua mãe.

1000Momentos depois, Alcione, ao ver a Sr. Susana chorando por ter sido censurada em suas atitudes, de imediato procurou o senhor Davenport, e disse-lhe em tom delicado:

— Meu senhor, desculpe a intromissão, mas a pequena Beatriz equivocara-se. Não foi Dona Susana quem me mandou substituir a lavadeira. Eu mesma, sabendo que ela adoecera, me ofereci para a lavagem de roupa. Não se preocupe, pois sou bastante habituada aos serviços gerais.

Beatriz não entendeu bem a atitude de Alcione, que lhe explicou:

— Beatriz, não pense que a lavagem de roupa é um serviço pesado. É tão sagrado para todos nós como qualquer outro serviço.

— Mas Alcione, nós temos criadas que cuidam disso, não é serviço teu.

— Minha querida, devemos estar aptos para qualquer trabalho digno.

— Mas a cada serviçal cabe a sua tarefa, não é?

— E não está errada ao pensar assim. Contudo, ao agirmos de maneira solícita, estaremos ampliando as nossas experiências em qualquer trabalho honesto. Sei que você aprecia as lições de Jesus, não é? Pois bem! O Mestre Divino carpintejou na modesta oficina de Nazaré, foi exegeta da Lei perante os doutores de Jerusalém, serviu o vinho da amizade nas bodas de Caná, foi médico da sogra de Pedro, enfermeiro dos paralíticos, guia dos cegos, amigo das crianças, e também servo dos discípulos, quando lhes lavou os pés no cenáculo. E nada obstante o contraste e a diversidade de tantas tarefas, Jesus nunca se ausentou do lugar sublime que lhe compete na Criação, nem deixou de ser o nosso Salvador, em todos os momentos.

Beatriz, filhinha de Susana, entre admirada e comovida, observou:

— Tudo isso é verdade! Como não pude compreender antes?

E, em seguida, começou a ajudar Alcione no trabalho do tanque…

(Livro “Renúncia” – Chico Xavier – pelo Espírito Emmanuel)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s