PARA SER INFELIZ BASTA NÃO SABER PERDOAR

“Jesus responde a Pedro:

– Perdoarás, mas ilimitadamente. Perdoarás cada ofensa quantas vezes ela te for feita; ensinarás a teus irmãos o esquecimento de si mesmo, que torna cada criatura invulnerável ao ataque, aos maus procedimentos e às injúrias; serás brando e humilde de coração, sem medir tua mansuetude.”

Pensamos que o perdão é um benefício para o malfeitor, mas o bem maior é, sem dúvida, para quem perdoa, porque perdoar é impedir que a ação má que está fora de si torne-se em um mau sentimento em si.

O esquecimento completo e absoluto das ofensas é peculiar às grandes almas; o rancor é sempre sinal de baixeza e inferioridade moral.

65

O que difere o homem dos outros animais é a razão. Mas somente conseguimos pensar com o pleno uso da razão quando estamos livres das perturbações do sentimento, como a mágoa, a ofensa, o rancor. Não é possível ter um pensamento lúcido estando ofendido.

Portanto, se desejamos nos aprimorar na escala moral, motivo único da existência corpórea, é preciso que compreendamos que o perdão é uma necessidade para o nosso progresso e felicidade.

A lei de causa e efeito elimina a possibilidade de injustiças, pois se injustiça existisse, Deus não seria justo, e portanto, não seria Deus. A ofensa e o rancor denotam a fragilidade da fé, pois representam a negação da justiça divina.

Não devemos nos ocupar com aquele que erra, pois este terá de se quitar pelo mal que faz, da mesma forma que nós respondemos pelo mal que fazemos. Não queira, sob o pretexto de justiça, se vingar pelo mal que recebe. Perdoar é a única forma de não se contaminar com o mal que vem dos outros.

Vivemos num mundo de provas e expiações, e por isso, o mal reina por todos os lados. Mas aquele que aprende a utilizar a arma do perdão está apto a viver de forma serena, inclusive no caos, porque compreende a necessidade que tem das provas pelas quais passa, e as aceita com resignação. Assim, não permite que o mal que lhe fazem penetre seu mundo íntimo, conservando-se equilibrado e confiante no porvir.

“Perdoar aos inimigos é pedir perdão para si próprio.” (Apóstolo Paulo)

Quem é o inimigo de hoje? Certamente é alguém que já ofendemos ou que acumulamos débitos noutras existências. Aquele que te persegue, te calunia e te maltrata, muito provavelmente foi alguém a que você feriu, magoou e prejudicou no passado. Por isso, perdoar aos inimigos é pedir perdão para si mesmo pelo mal que já fez.

“Perdoai, meus amigos, a fim de que Deus vos perdoe, porquanto, se fordes duros, exigentes, inflexíveis, se usardes de rigor até por uma ofensa leve, como querereis que Deus esqueça de que cada dia maior necessidade tendes de indulgência? Oh! ai daquele que diz: “Nunca perdoarei”, pois pronuncia sua própria condenação. Quem sabe, aliás, se descendo ao fundo de vós mesmos, não reconhecereis que fostes o agressor? Quem sabe se, nessa luta que começa por uma alfinetada e acaba por uma ruptura, não fostes quem atirou o primeiro golpe, se vos escapou alguma palavra injuriosa, se não procedestes com toda a moderação necessária?”
(E.S.E.)

Admitamos que, em dada circunstância, fostes realmente ofendido. Mas se de fato, fordes inocentes e, ainda assim, conseguirdes perdoar, dará prova de que melhorou-se, porque vencestes o orgulho, chaga que avassala as humanidades dos mundos em expiação.

Perdoar é ajudar o agressor, é não querer retribuir o mal com o mal; é desejar que o mal desapareça, é ter compaixão de quem erra, é empenhar-se para o reequilíbrio de todos. Aprender a perdoar é conquistar a emoção equilibrada.

Até que vençamos as fragilidades do orgulho, viveremos as provas de ofensa e de humilhação que cada um de nós necessita para se moralizar.
Mas à medida que, pelo esforço, desenvolvermos o perdão, tornaremo-nos mais felizes, porque então, o bem exterior nos afetará, mas o mal exterior não mais penetrará.

Pensemos nisso.

Mais sobre o assunto, e muito mais, no seminário de Cosme Massi, intitulado “A Caridade na Visão Espírita”, acessível pelo link abaixo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s