A IMPORTÂNCIA DA FORMA EM DETRIMENTO DO FUNDO

Enquanto Jesus falava, um Fariseu pediu-lhe que jantasse em sua casa; e Jesus para lá se dirigindo, colocou-se à mesa. O Fariseu pensou consigo: Por que não lavou as mãos antes do jantar?

41

Mas o Senhor lhe disse: Vós outros, Fariseus, tendes grande cuidado em limpar o exterior do copo e do prato; mas o interior de vossos corações está cheio de rapinas e de iniquidades. Insensatos que sois! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? (São Lucas, cap. XI, v. 37 a 40).

O objetivo da religião é conduzir o homem a Deus; ora, o homem não chega a Deus senão quando está perfeito; portanto, toda religião que não torna o homem melhor, não atinge seu objetivo; aquela sobre a qual se crê poder apoiar para fazer o mal, ou é falsa ou falseada em seu princípio.

Tal é o resultado de todas aquelas em que a forma se impõe sobre o fundo. A crença na eficácia dos sinais exteriores é nula, se não impede que se cometam homicídios, adultérios, espoliações, calúnias e de fazer mal ao próximo. Ela faz supersticiosos, hipócritas e fanáticos, mas não faz homens de bem.

Os judeus haviam negligenciado os verdadeiros mandamentos de Deus, para se apegarem à prática dos regulamentos estabelecidos pelos homens e dos quais os observadores rígidos faziam casos de consciência; o fundo, muito simples, acabara por desaparecer sob a complicação da forma.

Como era mais fácil observar os atos exteriores do que se reformar moralmente, lavar as mãos do que limpar seu coração, os homens se iludiram e se acreditaram quites para com Deus, porque se conformavam com essas práticas, permanecendo como eram, porque se lhes ensinava que Deus não pedia mais do que isso.

Por isso, o profeta disse: É em vão que este povo me honra com os lábios, ensinando máximas e ordenações humanas. Ocorreu o mesmo com a doutrina moral do Cristo, que acabou por ser colocada em segundo plano, o que fez muitos cristãos crerem, a exemplo dos antigos Judeus, sua salvação mais assegurada pelas práticas exteriores do que pelas da moral. É a essas adições, feitas pelos homens à lei de Deus, que Jesus fez alusão, quando disse: Toda planta que meu Pai celestial não plantou, será arrancada.

(Síntese de O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. VIII)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s